Últimas Notícias

Alvianil teve chances de vencer (Carlos Grevi/AG Ururau)

07/04/2016
Goytacaz joga bem mas cede empate no clássico

Em partida válida pela oitava rodada da Taça Santos Dumont, o Goytacaz ficou no empate frente ao Campos, no “clássico da amizade”, disputado na noite desta quarta-feira (7) pela Série B 2016.

Um gol para cada lado no Estádio Ary de Oliveira e Souza foi a marca do reencontro em jogo oficial após 39 anos, do mais antigo clássico da planície Goitacá. Marcos Felipe marcou para o azul, enquanto Paquetá igualou para o roxinho.

O Goyta tem agora duas rodadas para correr atrás do lugar entre os dois melhores do grupo A, e só a vitória interessa. A conta é complexa, mas o clube poderá sonhar até a rodada final.

No próximo sábado, o time precisa vencer o Gonçalense, às 15h, na rua Bariri, e torcer para que o Americano não vença o Duque de Caxias no Estádio Marrentão. Ao passo que o Artsul folga nesta rodada, quem folga na última rodada é o Americano. E nesta, caso tenha vencido fora, o Goyta terá de bater o Olaria na próxima quarta-feira (13), no Ary de Oliveira e Souza, e contar que o Artsul em casa não some pontos contra o Nova Iguaçu.

A atual tabela mostra no grupo A, o Itaboraí na liderança, com 16 pontos, o Artsul logo atrás com os mesmos 15 do terceiro, Americano, e em seguida o Goytacaz com 10, e um jogo a menos que os dois à sua frente.

O jogo - Fazendo valer seu forte, o mando de campo, diante de grande público e festa, o Goyta foi superior durante todo o primeiro tempo. Após algumas chances desperdiçadas pelo ataque, aos 30 minutos Rondinelli cobrou escanteio pelo lado direito e após a bola passar por Bambu e ser desviada pela defesa adversária, Marcos Felipe aproveitou a sobra – na perna direita, que não é a boa -, e mandou para o fundo das redes, explodindo a massa.

O time da rua do Gás foi dono ainda das melhores chances de gol. Foram inúmeras situações favoráveis para ampliar e construir um resultado positivo, mas o alvianil não teve felicidade em suas conclusões. Aos 43 minutos, Luquinha recebeu boa bola de Rondinelli e avançou em velocidade pela ponta esquerda, mas finalizou fraco facilitando o trabalho de Bambu.

Porém após tanto os donos da casa criarem e desperdiçarem, a conhecida máxima do futebol se fez presente no Aryzão. Aos 44, em uma de suas subidas pelo lado esquerdo o Campos chegou ao empate com Vinicius Paquetá, tocou de leve para o gol após cruzamento da esquerda.

Segundo tempo - O segundo tempo já não foi tão vistoso assim. Muitas faltas no meio do campo faziam um jogo truncado. Aos 13 minutos, em contra-ataque conduzido em velocidade por Paquetá, o autor do empate lançou o também ex-Goytacaz Miguel, que finalizou e obrigou Magno a fazer grande defesa. Logo em seguida, Rubinho sacou Dieguinho e alçou Almir ao meio campo.

Aos 38 minutos, em mais um escanteio cobrado por Rondinelli o grito de gol saiu pela metade nas arquibancadas da rua do Gás. Isso porque após cabeçada de Nikson. Bambu espalmou e na sobra, Diniz finalizou para as redes. mas a bola já havia saído. Assim o enfrentamento foi até os acréscimos finais, terminando em 1 a 1.

Goytacaz: Magno; Foca, Jeferson, Léo Gomes e Marcos Felipe; Joel, Jacaré, Rondinelli e Dieguinho (Almir, 06’/2ºT); Luquinha (Nikson, 19’/2ºT) e Diniz (Pedrinho, 36’/2ºT). Técnico: Rubens Filho.

Campos: Bambu; Pivô, Leandro, Cleiton e Tom; Jaiminho, Jadinho, Washington (Gilmax, 20’/2ºT) e Maranhão (DG, 31’/2ºT); Miguel e Paquetá (Gilsandro, 46’/2ºT). Técnico: Rafael Soriano.

Arbitragem: Daniel Wilson Barbosa, auxiliado por Gilberto Stena Pereira e Francisco Pereira de Souza.

Cartões amarelos: Marcos Felipe (GOY); Miguel (CAM).
Gols: Marcos Felipe, 30’/1ºT (1-0), Paquetá, 44’/1ºT (1-1).


COMPARTILHE:
 
 
 
 
O CLUBE
FUTEBOL
NOTÍCIAS
MARKETING
TORCEDOR